5º Encontro Nacional da Pascom: “Liturgia é por essência comunicação”

_DSC0130O 5º Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação (Pascom), que teve como tema Comunicação e Liturgia, terminou domingo, dia 17 de julho, com a consagração a Nossa Senhora e envio dos agentes da Pascom. Durante todo o encontro, entre os dias 14 a 17, os agentes da Pascom tiveram a oportunidade de discutir, falar, meditar e trocar experiências sobre a relação liturgia e comunicação, sempre acompanhados pelos membros das comissões episcopais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para Comunicação e Liturgia.

O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Comunicação, Dom Darci José Nicioli, CssR, arcebispo de Diamantina (MG), ao final do encontro, manifestou sua alegria pelo 5º Encontro Nacional da Pascom, destacando a presença de mais de dez bispos e mais de 30 padres, diáconos e religiosos e religiosas. Ele agradeceu a participação dos mais de 900 agentes da Pascom representando as mais diferentes regiões e dioceses do Brasil.

Antes de dar a benção final, Dom Darci sugeriu que o 6º Encontro, a ser realizado em 2018, tenha como tema Comunicação e Transparência, aproveitando o momento político das eleições nacional e regionais. “Falamos muito de ética na comunicação e podemos aproveitar que estaremos no clima das eleições nacional e regional e discutir o tema transparência na comunicação”, comentou.

_DSC0029Para Dom Darci Nicioli a parceria com a Comissão Episcopal para Liturgia foi muito importante e por isso, que no próximo encontro em 2018 possa ser realizado em parceria com a Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz. O assessor nacional da Comissão para Liturgia, Frei Faustino Paludo (OFMCap) disse que a parceria com a Comunicação era muito desejada e vinha sendo discutida deste a elaboração do Diretório Nacional de Comunicação.

“Há muito tempo queríamos fazer esse trabalho conjunto entre comunicação e liturgia. Sobre tudo a partir de todo trabalho realizado no Diretório Nacional de Comunicação, quando houve um grande trabalho entre as duas comissões e falávamos que deveria haver um momento para tratar deste assunto, pois liturgia na sua essência é comunicação. E depois há muito trabalhos dos agentes da comunicação envolvidos com a liturgia, por isso, precisamos aprofundar esta relação para que os momentos celebrativos transmitidos sejam evangelizadores”, disse Frei Faustino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *