ATENÇÃO AOS HORÁRIOS DE FIM DE ANO

Fique atento aos horários das festas de fim de ano!

CONFISSÕES EM NOGUEIRA

19/12 (quinta-feira) – 19h (na igreja Matriz, em Águas Lindas, no Calembe e em Bonsucesso)

NATAL DO SENHOR

Dia 24/12 (terça-feira)Véspera de Natal – Missa às 20h

Dia 25/12 (quarta-feira) - Natal do Senhor – Missas às 11h e 19h

SANTA MARIA MÃE DE DEUS

Dia 31/12 (terça-feira) – Missa às 19:30

Dia 01/01 (quarta-feira) – Missas às 11h e 19h

Você conhece a Pastoral da Sobriedade?

Em maio de 1998 na 36º Assembleia da CNBB, Dom Irineu Danelon propôs uma ação articulada da Igreja para responder ao flagelo da dependência química. Nasce a Pastoral da Sobriedade, uma ação concreta na prevenção e na recuperação da Dependência Química. Um trabalho conjunto que envolve o dependente, a família e a sociedade em um programa de vida nova.

A Pastoral da Sobriedade atua em 5 dimensões: Prevenção, Intervenção, Recuperação, Reinserção e Atuação Política, e pode ser identificada nas paróquias pelos GRUPOS DE AUTO-AJUDA.  O grupo de autoajuda da Pastoral da Sobriedade utiliza um método sistêmico para ajudar as famílias a encontrarem soluções para quaisquer tipos de dependência. As reuniões são semanais e se desenvolvem na reflexão e vivência de 12 passos (temas bíblicos), que pretendem levar o participante a conversão e a recuperação, quer como dependente ou codependente. Os grupos são caracterizados por serem abertos a todos, não se limitarem a dependência química e por tratarem da conscientização de maneira pessoal e sigilosa.

Novos Agentes em Nogueira

Nos últimos dias 29,30 de novembro e 1º de dezembro, foram formados 4 agentes da Pastoral da Sobriedade da Paróquia de Nogueira. O casal Felipe e Bia Lorenzi, Luiz Carlos (Branco) e Marcos Bezerra, que participaram da Capacitação Diocesana. Com a autorização e direção de nosso pároco, a formação dos agentes e com o apoio de outros voluntários, implementaremos a Pastoral em nossa Paróquia no próximo ano.

Projeto Despontar e Pastoral da Sobriedade.

Com a implementação da Pastoral da Sobriedade nosso Projeto encontra sua verdadeira razão de ser. Desenvolvendo ações preventivas, fornecendo informações e apoio a crianças de Nogueira, Madame Machado e Areal, o Projeto Despontar será reconfigurado para tornar-se uma ferramenta eficaz da FRENTE de Prevenção da Pastoral, opondo-se à droga, ao álcool e a qualquer tipo de vício com total apoio e direção da mesma.

Por fim, a Pastoral da Sobriedade se realiza no serviço da Igreja, e se põe a disposição de todas as demais pastorais e movimentos de nossa amada Paróquia.

Um forte abraço a todos, a paz.

Felipe Lorenzi

Do que a Paróquia precisa?

Por Padre Fabiano

Quantas vezes, nos finais de missas, escuto valiosas observações e sugestões sobre a administração da paróquia ou sobre as pastorais. E procuro colocá-las em prática de acordo com a possibilidade. Muitas dessas sugestões começam assim: “padre, o senhor precisa conseguir alguém que …”,  ou então: “padre, seria bom se o senhor fizesse…”, e assim por diante.

Relendo um trecho de uma homilia do papa Francisco na festa do martírio de Santo Estevão, onde ele diz: “É necessário ser fiéis ao Espírito para anunciar Jesus com a nossa vida, com o nosso testemunho e com as nossas palavras”. “Quando fazemos isso, a Igreja se torna uma Igreja Mãe que gera filhos, filhos e filhos, para que nós, filhos da Igreja, levemos isso. Mas quando não o fazemos, a Igreja não se torna Mãe, e sim Igreja babá, que nina a criança para dormir. É uma Igreja dormente. Pensemos em nosso Batismo, na responsabilidade do nosso Batismo”, resolvi  neste mês de outubro, dedicado às missões, mostrar a todos os paroquianos algumas necessidades e sugestões de trabalho.

Existem na Igreja Católica inúmeras Pastorais, Movimentos e Grupos (em nossa paróquia quase 40!), mas aponto agora alguns que ainda não temos e fazem muita falta: Pastoral da Saúde, Pastoral da Sobriedade, Pastoral da Educação, Pastoral Vocacional, Pastoral da Comunicação e por aí vai.

Além dessas que não existem em nossa paróquia, temos outras que operam em capacidade mínima, já que faltam agentes pastorais. Já reparou que a Pastoral da Acolhida não chega a dez pessoas na Matriz? São cinco missas no final de semana. Então, acolhedores se desdobram para atender a todos, dar folheto, dar informações, pegar cadeira. Se tivéssemos mais acolhedores, eles poderiam revezar e não ser os mesmos todos os finais de semana, ou teríamos como abrir a lojinha de artigos religiosos no final da missa.

Outra pastoral que caminha também com pouquíssimos agentes é a Pastoral do Dizimo. Se tivéssemos mais agentes, poderíamos ter sempre alguém para preencher a ficha de novos dizimistas, tirar duvida, ajudar a encontrar o envelope.

Os leitores e os músicos também, quantas vezes, têm que participar de mais de uma missa no final de semana para poder não faltar nenhum ministério na missa.

O nosso jornal Angelus é um sucesso, sempre muito elogiado pela forma e conteúdo. Ele tem a colaboração das pastorais e movimentos que enviam as noticias. Temos também um site e o Facebook, que poderiam ser mais bem explorados, mais atualizados. Porém, a equipe da Pastoral da Comunicação é pequena. A distribuição dos jornais se limita aos patrocinadores e à entrega na porta da igreja. Se tivéssemos mais pessoas que se comprometessem em entregá-lo em outros lugares, como poderíamos evangelizar mais! Fiz, ouvindo sugestões, um milheiro de panfletos com os horários de missas e funcionamento da paróquia, mas ainda não consegui quem distribuísse pelas pousadas e comércio da região. Por falar em pousada, lembrei-me de outra pastoral que ainda não temos: a Pastoral do Turismo.

A Pastoral do Batismo e a Catequese são as portas de entrada para as crianças e suas famílias afastadas. Mas como é difícil conseguir catequistas e agentes do Batismo! Além das Pastorais que vão ao encontro das famílias que são a Pastoral Social e Pastoral Familiar. Como elas têm muito trabalho e poucos agentes! Você sabia que a Pastoral Social atende a mais de 40 famílias? Mas não consegue visitar sempre por falta de agentes e não consegue fazer mais que entregar as cestas básicas. E a Pastoral Familiar, que deve fazer visita às gravidas, aos recém-nascidos, aos noivos, aos recém-casados e tantos outros? Também ajuda na cerimonia de casamento, bodas, missa da família, encontros, casamento comunitário… se desdobra com apenas 12 casais agentes.

Até para rezar temos que conseguir mais agentes! O Apostolado da Oração: tem gente que acha que é só para senhoras, mas os homens e os jovens também podem participar! Todas as quintas-feiras temos adoração ao Santíssimo, das 7:00 às 19:30. E temos uma escala para garantir que durante todo o dia tenha sempre alguém em oração. Quem sabe você pode dar o seu nome e se comprometer com um horário fixo semanal? A Legião de Maria também conta com tão poucos legionários. As reuniões acontecem na capela de Bonsucesso. O Movimento da Mãe Rainha faz com que a capelinha de Nossa Senhora visite as casas. Se tivéssemos mais zeladores, poderíamos fazer chegar a muito mais famílias.

Povo de Deus, vamos nos mexer! A Igreja é viva, a Igreja é nossa! Queremos que o Evangelho chegue a todos os lugares, mas sem as nossas pernas, sem a nossa voz, Ele não vai chegar e nem ser ouvido em nenhum lugar. Não espere o padre bater no seu ombro para lhe pedir ajuda, ofereça para entrar numa pastoral ou fundar uma que ainda não temos. Mas só não queira conversar no intervalo entre a missa das 11h e o batizado. Procure o padre no horário de atendimento ou por e-mail, telefone.

Do que a Paróquia precisa? Ela precisa de mim, de você e de todos os batizados trabalhando em unidade para realizar a missão que Cristo confiou a todos! A Igreja tem que ser mãe, e não babá. Nós devemos ser bons filhos para ela.

Deus abençoe a todos!

Pe. Fabiano

Lista de pastorais e movimentos da Paróquia de Nogueira em 2013

  1. Pastoral do Batismo
  2. Pastoral da Criança
  3. Pastoral Social
  4. Pastoral Familiar
  5. Pastoral do Dizimo
  6. Catequese infantil
  7. Catequese de jovens e adultos
  8. ECC (Encontro de Casais com Cristo)
  9. IAM (Infância e Adolescência Missionária)
  10. Apostolado da Oração
  11. Legião de Maria
  12. Mãe Peregrina
  13. Missionários (visita às casas)
  14. Grupo de Jovens
  15. Grupo de Oração – RCC
  16. Pastoral da Acolhida
  17. Ministério de Música
  18. Ministério de Leitores
  19. Ministros da Eucaristia
  20. Coroinhas
  21. Grupo São José – terço dos homens
  22. Grupo S. Maria Mãe de Deus – grupo de oração para mulheres
  23. Comunidade N. Senhora Aparecida – Calembe
  24. Comunidade N. S. de Fátima – Águas Lindas
  25. Comunidade S. Sebastião – Bonsucesso.
  26. Pequena comunidade N. S. das Graças – Promenade
  27. Pequena comunidade N. S. de Fátima – Vila
  28. Pequena comunidade São Francisco de Assis – Cantina
  29. Pequena Comunidade S. Frei Galvão – BR
  30. Creche Santo Antônio
  31. Projeto De Grão em Grão (Ação Social)
  32. Projeto Santa Rita – costura de pijamas para idosos
  33. Projeto Bebê
  34. Projeto Fraldas
  35. Projeto Grão Vôlei
  36. Escolinha de futebol
  37. Projeto Resgate – Jiu-jitsu para adolescentes (Águas Lindas)
  38. Projeto Despontar – Jiu-jitsu para adolescentes e combate às drogas (Matriz)

 

Carta aberta à TV Globo

Por ocasião da Semana Nacional da Vida, celebrada de 01 a 08 de outubro, publicamos em nosso Jornal Angelus a Carta aberta à TV Globo, enviada pelo Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto, a respeito da abordagem do tema na novela ‘Amor à Vida’.

CARTA ABERTA À TV GLOBO

O Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto divulgou uma Carta Aberta à TV Globo a respeito da abordagem  sobre aborto provocado na novela Amor à Vida.

Leia a carta aberta na íntegra:

Ilustríssimo Senhor,
Carlos Henrique Schroder
Diretor Geral da TV GLOBO

Em cena da novela “Amor à vida”, no capítulo 82, que foi ao ar no dia 22 de agosto, a Rede Globo entrou com extrema superficialidade e com inúmeros equívocos em debate que merece ser abordado com seriedade e fundamentação. Em evento desconectado do enredo, entra em debate o aborto provocado. O personagem de um médico, chefe da residência médica, afirma que “o aborto ilegal está entre as maiores causas de mortes de mulheres no Brasil”. E afirma também que “infelizmente o aborto ilegal se tornou caso de saúde pública”.

Vamos aos dados oficiais, disponíveis no DATASUS: faleceram no Brasil, em 2011 (último ano a ter os dados totalmente disponíveis) 504.415 mulheres. O número máximo de mortes maternas por aborto provocado, incluindo os casos não especificados, corresponde a 69, sendo uma delas aborto dito legal. Portanto, apenas 0,013% das mortes de mulheres devem-se a aborto ilegal. Comparando, 31,7% das mulheres morreram de doenças do aparelho circulatório e 17,03% de tumores. Estes sim constituem problemas de saúde pública.

Houve também clara confusão entre os conceitos de “omissão de socorro” e “objeção de consciência”, com laivos de intolerância à liberdade religiosa. Desconhecemos que alguma religião impeça seus membros de prestar socorro a “pecadores”. Se assim fosse, inúmeros assaltantes e assassinos que chegam baleados aos hospitais ficariam sem atendimento. Se até um bandido assassino que foi ferido no embate tem direito a atendimento médico, como caberia negá-lo em situações de sequelas do aborto? A cena foi preconceituosa para com as crenças do outro personagem médico, distorcendo-as. Ela parece mesmo pretender trazer confusão para a questão da objeção de consciência, situação em que o profissional de saúde se recusa licitamente a realizar ou participar do abortamento, uma vez que ele se forma para proteger a vida e não para tirá-la.
Sabedores da influência que as novelas possuem na mentalidade do povo, demandamos que haja uma retratação das falsas impressões apresentadas, pois uma emissora deve ter compromisso com a realidade dos fatos. Se a Rede Globo deseja problematizar o debate, que o faça a partir de dados e situações verazes e não apenas reproduza determinados jargões propagandísticos pela legalização do aborto em nosso país.

Brasilia, 23 de Agosto de 2013.

Lenise Garcia
Presidente Nacional

Jaime Ferreira Lopes
Vice-Presidente Nacional Executivo

Damares Alves
Secretária Geral